quarta-feira, 19 de junho de 2013

POEMA "MONÓLOGO DE UM EGOCÊNTRICO II"



Em meu apartamento,
Tenho problemas para resolver.
Mas o que eu mais queria,
Era voltar
Lá onde todos me adoram.
- Sou gente fina.

E esse telefone que toca.
Alô?...
Era apenas a moça do banco
Oferecendo cartões.
Quase aceitei.
Ela sabia até meu nome,
Mas, não sabia o perfume,
Que eu mais gosto de usar.

Onde estão agora,
Aqueles que sabem que me dar?
Se bem,
Se for para andar com um povinho,
Prefiro a solidão como companhia.
Prefiro a casa,
O vinho e
Os concertos de Viena.

Danillo Salviano

2 comentários:

Thays Martins de Paiva disse...

Todas aquelas de que me arrependo e culpo;
Passam por mim, transtornadas ,coisas que não são nada,
E até dessas me arrependo.
_ Álvaro de Campos

Mais vale a companhia de nossa própria mente solitária, banhada em pensamentos loucos, do que vidas sem rumo ao nosso redor, simplesmente por estarem ali, sem nada querer...ou acrescentar.

Dimas Bertolucci disse...

Nojenta da garota do cartão de crédito, me chama pelo nome completo, mas nem se quer sabe qual perfume gosto hehehhe
Abraços!

senhordoseculo.com