domingo, 6 de fevereiro de 2011

SONETO "PARA RECORDAR"


Entre livros escondemos
Olhares de atração fatal.
Medo compartilhamos,
Misturado com êxtase sexual.

Sorrisos de malicia
E pupila dilatada.
A boca nada dizia
Só os gestos falavam.

Um passo seguido de outro.
Sílabas formam palavras.
A comunicação não falha.

Proclamamos tímidos sinais,
Que se tornou paixão
E completou-se no enlace.

Danillo Salviano

Nenhum comentário: