sábado, 15 de maio de 2010

soneto" questões fora de normas"


Tudo caí como uma avanlanche
Onde sabemos que vai acontecer,
Só não imaginamos arborescer,
Bem nesse instante.

Quando os dezessete se completa,
A neve nos cobre de questões
E respostas imcompletas,
Craiando até outras visões.

Nossas respostas são insólitas,
Sempre imconpreendidas
Ou compreendidas por hipócritas.

Logo, ficamos boiando no mar
De seres intelectuais,
Que só fazem ditar normas.

Danillo Salviano

Nenhum comentário: