segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

soneto "O fim do estudante."


Tudo não passa de solidão
De armargos livres
Tristes
Prontos para uma explosão.

Uma explosão
No céu amante
Da solidão
De um estudante.

Tudo no fim é um sufoco.
Traços que não se apagam,
beijos que não se acabam.

E o ultimo suspiro
Para começar o novo
É como o natal que esperamos.

Danillo Salviano


3 comentários:

thayzinha disse...

hum amoree gostei dos seus pensamentos..kkkk


são pra quem em??

bju*

thayzinha disse...

Amo-tu visse

^^
\o/

;xD

and.dih. disse...

mto loko!!!
continue assim q cê xegua longe!