terça-feira, 30 de dezembro de 2008

soneto "DESPEDIDA AO SOL"




Um novo dia nasce
Como todo dia resplandece
E a inigualavel paixão
me esquece ao sol brilhar.

A cada ano que passa,
O sol volta a brilhar
E a nossa inigualavel paixão
volta a esquecer os brilhos no olhar.

Oh sol porque voltas a brilhar
Se naum apareceres eu te contarias
O quanto é bom amar.

Por isso eu aproveito cada noite de luar
Ao lado do meu amor
Até o sol raiar.

Danillo Salviano

2 comentários:

Marcelo Martins disse...

gostei desse

c escreve muitoO bem nusS!!!
amantes da literatura?é disso que o Brasil precisa,
"Não que os homens vivam de contos e histórias,mas que façam delas seus ideiais,metas a alcançar,pois só assim ...teremos algum sentido pra correr atraz do viver"

Madaja Dibithi disse...

Oi,Danilo,seu blog tem muita coisa boa.Você é gente fina,antenado.Parabens.